Cultura colaborativa: como ela é capaz de impulsionar o negócio
21128
post-template-default,single,single-post,postid-21128,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Como a cultura colaborativa é capaz de impulsionar o negócio

como a cultura colaborativa impulsiona os negócios

O conceito de cultura colaborativa se dá nas inúmeras tentativas de integrar e agregar aos colaboradores, todos os objetivos, metas e anseios da organização. E através de ações engajadoras e capacitação ideal, o fator colaboração amplia exponencialmente.

Contudo, apesar de completamente tangível e necessário atualmente, alcançar tal patamar demanda um conjunto de práticas e ações específicas e planejadas. E uma parte fundamental desse processo recai sobre o departamento de Recursos Humanos (RH).

Você sabia que é possível impulsionar o negócio apenas com o desenvolvimento adequado da cultura colaborativa? Foco deste conteúdo, entenda como essa simbiose é imprescindível para o sucesso de qualquer empresa hoje em dia. Então, é só acompanhar!

O que define a cultura colaborativa inovadora

Antes de mais nada, devemos sinalizar que a cultura colaborativa é fruto dos avanços tecnológicos, em termos de soluções e sistemas avançados, e da presença cada vez impactante da internet e seus recursos.

Sendo assim, para compreender em definitivo a importância desse conceito podemos pensar da seguinte maneira. Antigamente, o formato da tomada de decisão nas empresas era resultado da ação de poucos indivíduos, ou seja, basicamente um gestor realizava uma análise do panorama e julgava a conclusão, correto?

Embora tenha funcionado por anos a fio, é considerada uma cultura retrógrada e nada inovadora. Portanto, estimular o colaborativo é o mesmo que trazer todos a bordo de um planejamento baseado na opinião mútua e decisão coletiva.

Dessa maneira, tal ação garante maiores chances de soluções distintas para o mesmo problema. Dessa forma, quando falamos em estratégias então, o leque de possibilidades amplia consideravelmente. Em suma, a cultura colaborativa se baseia em 3 pilares:

  • Troca constante de ideais em busca de diferentes soluções;
  • Compartilhamento coletivo de experiências;
  • Ações e tomada de decisão por meio do pensamento em conjunto.

Cultura colaborativa: principais vantagens para as empresas

É importante pensar na cultura organizacional voltada ao colaborativo como um fluxo ininterrupto, isto é, na promoção de um trabalho recorrente e assíduo. Afinal, é justamente a persistência e necessidade de alavancar diferenciais competitivos que essa ação viabiliza o entendimento à risca do DNA do empreendimento.

Sendo assim, os gestores e líderes têm ao seu dispor uma gama de tecnologias que facilitam e encurtam o tempo exigido para se tornar referência em colaboração e, como resultado direto desse posicionamento, a empresa atinge algumas vantagens, tais como:

  • Transformação dos colaboradores em agentes decisivos para mudança, por meio da valorização profissional;
  • Importantes insights alcançados no conhecimento dos colaboradores, a fim de requalificar e modernizar práticas obsoletas;
  • A inovação é fruto da promoção da criatividade e senso de pertencimento;
  • Equipes mais bem amparadas pela comunicação ampla e transparente;
  • Retenção de talentos aprimorada com a descoberta de novos potenciais recursos à liderança.

De que maneira a cultura colaborativa impulsiona o negócio

A diminuição, se não eliminação, da individualidade entre as cadeias de comando (hierarquias) promove uma empresa com processos e objetivos pautados no crescimento do todo, ao invés do destacamento individual.

Portanto, quanto menos individualizados forem os processos, rotinas e tarefas, maior será a colaboração em prol do crescimento empresarial. Mas como isso é praticado na realidade? Simples, siga os passos abaixo:

  • Viabilize canais de comunicação facilitados e ao alcance de todos, promovendo o compartilhamento das ideias;
  • Procure evidenciar o incentivo e valorização do coletivo, estimulando assim, o trabalho em equipe e crescimento conjunto;
  • Abra espaço para que os colaboradores sejam capazes de apresentar suas ideias e faça sua opinião valer;
  • É comum pensar que o trabalho é a segunda casa do profissional, então, analise a criação de espaços compartilhados, a fim de engajar ainda mais a vivência profissional.

Sem o fator colaborativo não há sobrevivência nos negócios

Poderíamos ficar horas enumerando as razões pela qual a cultura colaborativa é o modelo organizacional ideal para o crescimento, mas reunimos os que mais pesam no cotidiano e processos. Então veja as razões pelas quais sem colaboração não há sobrevivência.

  • As ações e forças individuais são facilmente impactadas pela colaboração;
  • O fator produtividade é influenciado pela colaboração dos profissionais;
  • Profissionais que atuam remotamente tornam-se mais engajados e ativos;
  • A cultura colaborativa auxilia no desenvolvimento e formação das equipes;
  • A cultura organizacional colaborativa assegura que os envolvidos se tornem mais criativos e tragam soluções diferenciadas, até mesmo da concorrência.

Entretanto, o passo mais crucial para fazer o planejamento funcionar é alinhar o setor de RH como centro das ações e como executor direto das demandas. Desse modo, acesse para entender como a SISPRO antecipa essa necessidade com a melhor solução que o ciclo da sua gestão empresarial necessita.

A cultura colaborativa é requisito mínimo exigido, porém, intrínseco ao crescimento e sucesso empresarial, pode apostar!