Franquias de varejo e alimentação miram ganhos com classe C - SISPRO
4786
post-template-default,single,single-post,postid-4786,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-23911
 
Blog

Franquias de varejo e alimentação miram ganhos com classe C

Para especialista, público tem demandado mais serviços nos últimos quatro anos

A chamada nova classe C brasileira caiu no gosto dos investidores da área de franquias. “Temos em praticamente todos os setores do franchising excelentes oportunidades voltadas para este público, no segmento de serviços, varejo e até alimentação”, afirma o diretor da consultoria Global Franchise, Wagner Lopes D’ Almeida.

No entando, para obter sucesso e se destacar no mercado, D’ Almeida recomenda que o futuro franqueado visite unidades já em operação em regiões que concentrem este grupo de pessoas, além de checar o desenvolvimento dos negócios, conversando com os donos das lojas e identificando os desafios enfrentados.

“Também é importante avaliar se o perfil do consumidor destas unidades é semelhante à região onde o novo franqueado pretende operar”, alerta.

Segundo a sócia-diretora da Franchise Store, Filomena Garcia, as marcas que apostaram nesta ideia têm crescido em um ritmo maior nos últimos quatro anos. “Quem saiu na frente e teve essa sacada antes acabou ganhando mais, o que será mais complicado daqui para frente”, acredita.

A executiva não cita um tema específico para a rede dedicada à classe, mas aponta sucessos como a Di Santinni, de calçados, o Monster Dog, especializado em cachorro-quente, a Sorridents, de serviços odontológicos, e o Spa das Sobrancelhas, de estética.

Interior de loja da Di Santinni

Na experiência da rede de tratamento e cuidados especializados para cabelos crespos e cacheados Lunablu, a meta foi oferecer ao novo público um serviço ‘premium’ com preços acessíveis. As três lojas da marca foram abertas em locais considerados estratégicos e de grande circulação de pessoas, em São Paulo, nos bairros Santo Amaro e República, e no Rio de Janeiro, em Madureira.