FGTS: Senadores defendem derrubada de veto ao fim da multa de 10% - SISPRO
4754
post-template-default,single,single-post,postid-4754,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-23911
 
Blog

FGTS: Senadores defendem derrubada de veto ao fim da multa de 10%

Os senadores Armando Monteiro (PTB-PE) e Paulo Paim (PT-RS) dizem acreditar que o Congresso vai derrubar o veto integral da presidente Dilma Rousseff ao projeto que extinguia a multa adicional de 10% do FGTS em caso de demissão sem justa causa (PLS 198/2007 – Complementar). Segundo o governo, o fim da multa causaria perda de R$ 3 bilhões por ano no FGTS.

Armando Monteiro lembra que a multa de 10% foi criada para compensar temporariamente perdas causadas por planos econômicos. Para ele, o objetivo já foi cumprido e a extinção da contribuição não vai resultar em prejuízos para os trabalhadores.

– Não há qualquer prejuízo para o trabalhador brasileiro, pois essa contribuição adicional vai para o governo. Não tem sentindo algum que se pretenda agora incorporar essa receita, de caráter transitório, como sendo permanente – diz o senador.

Paulo Paim destaca que, com a nova sistemática de apreciação de vetos no prazo de 30 dias, a decisão da presidente Dilma deve ser revista ainda em agosto.

– Como foi por ampla maioria que aprovamos o projeto, significa que a tendência do Congresso é também derrubar o veto. Se por quase unanimidade, você aprovou o projeto, a tendência seria manter o projeto, ou seja, derrubar o veto – prevê.

Os recursos provenientes da multa adicional de 10% são destinados ao Fundo de Investimento do FGTS, que banca programas como o Minha Casa, Minha Vida e ações na área de infraestrutura, em especial de saneamento básico.

26/07/2013 – Fonte: Agência Senado