Escrituração Contábil Fiscal deve ser entregue a partir de 2014 - SISPRO
4666
post-template-default,single,single-post,postid-4666,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-23911
 
Blog

Escrituração Contábil Fiscal deve ser entregue a partir de 2014

A Receita instituiu duas novas obrigações acessórias para as pessoas jurídicas. A ECD (Escrituração Contábil Digital) e a ECF (Escrituração Contábil Fiscal) devem ser transmitidas por meio do Sped (Sistema Público de Escrituração Digital) e se aplicam aos exercícios iniciados a partir de 1o de janeiro de 2014.

A ECD é obrigatória para as pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real, as tributadas pelo regime de lucro presumido que distribuem lucros sem a incidência de IRRF (Imposto sobre a Renda Retido na Fonte) e para as pessoas jurídicas imunes ou isentas.

Ela foi instituída pela Instrução Normativa nº 1.420, de 19 de dezembro de 2013, e reúne informações dos livros Diário, Razão, os auxiliares de cada um e do livro Balancetes Diários, Balanços e Fichas de Lançamento Comprobatórias dos Assentamentos Neles Transcritos. A declaração deve ser transmitida anualmente, até o último dia útil de junho do ano seguinte ao ano da escrituração.

Instituída pela Instrução Normativa nº 1.422, também de 19 de dezembro de 2013, a ECF substitui a DIPJ (Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica) e o Lalur (Livro de Apuração do Lucro Real).

A declaração será obrigatória para todas as pessoas jurídicas e equiparadas, que deverão informar todas as operações realizadas que influem na composição da base de cálculo do IRPJ (Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido).

Estão desobrigadas de prestar as informações da ECF as pessoas jurídicas inativas, os órgãos públicos, autarquias e fundações e as pequenas e microempresas optantes pelo Simples Nacional.

A Instrução Normativa RFB nº 1.420 e a Instrução Normativa RFB nº 1.422 foram publicadas na edição de 20 de dezembro de 2013 do Diário Oficial da União e estão em vigor. A não apresentação de qualquer uma das declarações no prazo acarretará multas de até 3% do valor da transação omitida ou incorreta.

Fonte: Boletim CRC-SP – 17/04/14