ERP on Cloud: saiba por que adotar um sistema na nuvem | SISPRO
23581
post-template-default,single,single-post,postid-23581,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

ERP on Cloud: saiba por que adotar um sistema na nuvem

ERP on cloud

O ERP on Cloud é uma nova tendência dentro das organizações. A tecnologia nos surpreende a cada dia que passa.

Todo dia uma nova tecnologia é lançada, principalmente no setor profissional e, por conta disso, essas novas tendências devem ser assistidas de perto, com agilidade e dinamismo, pelas organizações. 

O Enterprise Resource Planning, mais conhecido como ERP, é um software que proporciona um alinhamento e também maior planejamento de cada uma das funções existentes dentro das empresas. 

Uma vertente mais atual do ERP é a versão cloud, que tem uma mudança basicamente estrutural do que o ERP local. Continua sendo um sistema de gestão de serviços, porém associado a uma tecnologia que garante que o sistema fica hospedado em servidores remotos podendo ser acessado de onde o colaborador estiver.  

Além de oferecer novas oportunidades com o seu funcionamento, o ERP na nuvem também é vantajoso para as organizações que o adquirem. Entre as vantagens desse sistema temos: baixo investimento, gerenciamento completo, monitoração 24h por dia e também atualizações. 

Existem hoje duas versões do ERP: On Premises e On Cloud. O primeiro é o ERP chamado de local, é aquele software instalado fisicamente no hardware e nos servidores das organizações.

Já o segundo é um sistema na nuvem que é oferecido como um serviço por uma empresa qualificada, que instala no provedor de nuvem e por lá são realizadas as manutenções e suportes necessários.

Mais ainda existem outras diferenças entre On Premises e On Cloud, acompanhe a leitura até o final para identificar quais são elas. Vamos lá!

Saiba as principais diferenças entre ERP On Premises e On Cloud

On Premises

Sendo uma instalação local, a versão On Premises terá que ser, obrigatoriamente, administrada pelas equipes de TI internas das organizações.

O valor de instalação é mais alto do que na modalidade On Cloud, além de existirem alguns outros pontos, como: a necessidade de treinamento da equipe, manutenções e atualizações presenciais. 

On Cloud

O ERP na nuvem tem como ponto de partida uma preocupação: a segurança dos usuários. O sistema On Cloud seria como se fosse uma camada extra de proteção, onde todas as informações serão mantidas em total sigilo.

O serviço em nuvem causa menos gasto de energia e visa provocar menos poluição vinda dos equipamentos, que nesse caso são dispensados. A migração do modelo On Premises para o On Cloud é algo simples de realizar além de ser rápido. 

O tempo de instalação do software na nuvem é menor e dá aos gestores e colaboradores mais foco no cumprimento de suas atividades.

Apenas com um bom acesso à internet e também a criação de um login, o responsável consegue definir quantos usuários conseguirão acessar o sistema a qualquer momento, de qualquer lugar e independente também do dispositivo utilizado.

Mas é muito importante que antes de adquirir qualquer um dos programas se leve alguns critérios em consideração. 

Critérios a considerar 

Antes de contratar qualquer sistema na nuvem, é importante que você avalie os pontos mais cruciais. Para que tudo seja definido de uma maneira certeira, você precisa ter em mente tudo aquilo que tem afetado a sua organização negativamente.

O custo-benefício é um ponto crucial para se analisar. Sabendo quanto se pode investir em uma nova ferramenta facilita muito na tomada de decisão.

Além disso, pensar no crescimento futuro da empresa, onde a organização quer chegar também é muito importante, para que as empresas possam traçar um perfil da organização e também definirem com mais exatidão todos os processos para atingir os devidos resultados. 

Além disso é importante levar em consideração também os seguintes temas: credibilidade da marca, as integrações disponíveis no sistema, a qualidade de suporte técnico e, por último mais não menos importante, a qualidade técnica do sistema.

Contudo, é imprescindível não esquecer de fazer a checagem de todas as variáveis como as informadas acima antes de fazer a escolha de um ERP na nuvem que converse com os objetivos que a organização quer alcançar.