Otimize o seu controle de ativos imobilizados e elimine os erros | SISPRO
23820
post-template-default,single,single-post,postid-23820,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-23911
 
Blog

Otimize o seu controle de ativos imobilizados e elimine os erros

controle de ativos imobilizados

Dentro das organizações existem alguns processos considerados importantes, mas que não são tratados com a devida importância, como o controle de ativos imobilizados. Na maioria das vezes esse assunto só é abordado para o cumprimento das obrigações fiscais e outras normas consideradas somente burocracia, porém a gestão de patrimônio pode oferecer muitos benefícios para uma organização. 

Todas as empresas possuem ativos imobilizados, aqueles que são utilizados estritamente para fins do negócio, mas esquecem que esses bens precisam ser geridos. O controle de ativos imobilizados é um processo realizado para conhecimento e monitoramento dos patrimônios de uma empresa. Alguns dos exemplos mais comuns desses ativos são: máquinas, carros, prédios, equipamentos e outros. 

A gestão do patrimônio é importante pois é preciso estar em dia com a prestação de contas da empresa e esse é o principal motivo de controlar esses patrimônios. Outros benefícios que o controle de patrimônio pode trazer são: evitar furtos, evitar desvios de bens, evitar a sonegação de impostos ou até mesmo pagamentos desnecessários. Por conta disto ter o controle de bens da sua organização é tão importante, além de oferecer também relatórios que geram insights importantes para os gestores. 

Mas como essa atividade é feita nas empresas normalmente? Existem cinco etapas a serem seguidas para fazer o controle do ativo, que são: Inventário; avaliação dos ativos; revisão das vidas úteis dos imobilizados; determinação das novas taxas de depreciação e, por último, Teste de Impairment. Ficou curioso para saber mais sobre o assunto? Leia o texto completo abaixo!

Gestão Patrimonial em nuvem

Um dos principais equívocos das empresas é achar que a gestão de patrimônio consegue ser realizada de uma maneira simples. Por muito tempo as planilhas ajudaram e muito nessa atividade, que é naturalmente trabalhosa, mas hoje com o avanço tecnológico realizar esse controle ficou bem mais simples. 

O sistema em nuvem é o ideal quando falamos em como fazer a gestão patrimonial, pois ele possibilita que colaboradores e gestores acessem as informações necessárias a qualquer momento, em qualquer dispositivo eletrônico e de qualquer local, basta ter definido usuário e senha. 

Os principais ganhos em optar por uma solução patrimonial em nuvem são:

– Automação e simplificação das atividades;

– Agilidade na execução dos processos necessários;

– Mais segurança na informação, com controle de acesso por usuário;

– Menor tempo de resposta ao cliente;

– Melhor experiência do usuário/ colaborador;

– Redução de custos de infraestrutura e mão de obra;

– Otimização do tempo da equipe;

– Mobilidade; 

E, por último, ainda podemos citar aqui como mais um benefício do sistema em nuvem é a diminuição dos erros, quando esse sistema é comparado ao controle de bens imobilizados em planilhas. 

Passo a passo: Como realizar o Controle de Ativo Imobilizado

Entenda o que consiste em controle de ativo imobilizado e como é importante fazê-lo da melhor forma, abaixo deixamos um passo a passo para você não se perder!

1º passo: Identificar todos os ativos da sua empresa

O primeiro passo é o INVENTÁRIO de todos os bens existentes, é importante identificar características técnicas de cada um dos patrimônios da empresa, como: marca, potência, modelo e outras características. Nessa etapa é necessário fazer essa identificação para o que chamamos de Plaqueta de Identificação, que precisa ser feita para cada um dos bens, nela contém um código de barras para ficar mais fácil de controlar a movimentação do patrimônio. 

2º passo: Realizar uma avaliação de preço para cada bem

Depois de enumerar cada um dos bens da empresa, é hora de avaliar o valor de cada um desses patrimônios. O principal objetivo desse passo é estabelecer os reais e atuais valores de todo o patrimônio da empresa.

3º passo: Identificar a vida financeira de cada bem

O tempo é a vida útil de todo o ativo, caracteristicamente essa informação é fornecida pelo fabricante, onde é informada a validade e se o produto terá um bom desempenho. No caso da vida útil financeira de cada patrimônio, a organização precisa estar focada em definir durante quanto tempo em que o ativo vai poder gerar receita para a empresa.

4º passo: Fazer cálculo da depreciação

Devido ao tempo útil de cada bem, ao uso e ao desgaste, é preciso realizar um novo cálculo de depreciação para o controle do ativo imobilizado. Usando o valor residual, o valor justo e a vida útil financeira do bem é realizado o cálculo e para isso existem fórmulas padrões para o cálculo da depreciação, para o cálculo das taxas e, também, do tempo útil de cada patrimônio. Essa é uma das obrigações legais de cada empresa, determinadas pela Receita Federal.   

Uma solução empresarial de Patrimônio está apta a automatizar todo esse passo a passo. A solução SISPRO Gestão Patrimonial visa tornar a gestão dos patrimônios prática e eficiente, atendendo todas as exigências legais e fiscais em uma única plataforma 100% cloud. Muito mais do que cumprir os prazos legais, o SISPRO Gestão Patrimonial atende todos os desafios da área! Quer saber mais sobre a nossa solução SISPRO Gestão Patrimonial? Clique aqui, leia mais sobre a solução e, se tiver interesse, peça uma demonstração do produto, nossa equipe está a postos para lhe receber!