Comércio: Varejo se prepara para faturar durante o Natal - SISPRO
4308
post-template-default,single,single-post,postid-4308,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-6.9.0,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-23911
 
Blog

Comércio: Varejo se prepara para faturar durante o Natal

Confederação Nacional do Comércio (CNC) aponta preocupação em relação ao baixo movimento, mas CDL de Jaraguá espera fechar o ano positivamente, com um aumento de 6% nas vendas

O Natal, indiscutivelmente, é a época de maior movimento no comércio durante o ano, mas desta vez as expectativas no geral não são as melhores. De acordo com o levantamento da Confederação Nacional do Comércio (CNC), os varejistas têm escolhido adiar as encomendas para o estoque de Natal, que geralmente começam a ser feitas a partir de setembro, e o aumento seria de apenas 3% no país.

De acordo com o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Eduardo Schiewe, a instituição iniciou a montagem de estatísticas do município e região neste ano, por isso não é possível fazer comparativos, mas ele garante que determinadas estatísticas federais acabam não se aplicando às locais. “Temos registros de uma reação positiva no comércio em agosto, assim como todos os meses, por isso acreditamos que o ano será fechado positivamente”, diz.

A expectativa é de um crescimento de 6% nas vendas, média também esperada nos últimos anos, segundo Shiewe. Por ser uma cidade industrial, o comércio de Jaraguá do Sul acaba sendo reflexo do bem estar das indústrias. “Talvez um dos motivos de pesquisas nacionais não influenciarem significativamente na região”, acrescenta.
Segundo o presidente da CDL, os segmentos de vestuário, perfumaria e eletrônicos são os que mais costumam registrar procura. Apenas o setor moveleiro sofre desaceleração nesta época. A gerente de uma loja de calçados, Natalina Piotto, destaca que o movimento começou a melhorar no segundo semestre deste ano, registrando 5% a mais nas vendas, número esperado de crescimento para o Natal. “Alguns fatores como a Copa ou as enchentes podem ter sido determinantes para o público mais fraco no primeiro semestre”, analisa.

Quem aponta uma grande expectativa para este Natal é o gerente Jonathan Schug, de uma loja de acessórios e equipamentos eletrônicos. “O ano inteiro tem sido bastante positivo aqui na loja, e esperamos um dos melhores natais dos últimos anos”, afirma. A previsão é de um aumento de 20 a 30% nas vendas em relação ao ano passado.

Fonte: ocponline.com.br – 28/09/14