SETEMBRO AMARELO | Falar é a melhor solução | SISPRO
21191
post-template-default,single,single-post,postid-21191,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

SETEMBRO AMARELO | Falar é a melhor solução

Simbolizado pela cor amarela, o Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo, como também, suas formas de prevenção. 

Em 2015, o Centro de Valorização da Viva (CVV), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) realizam as primeiras atividades do Setembro Amarelo no Brasil.

O suicídio ainda é considerado um assunto tabu. Com poucas discussões no âmbito familiar, nas escolas, empresas e até entre amigos, a dificuldade para identificar sinais, ofertar e buscar ajuda é grande.  

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), só no Brasil, 32 pessoas se suicidam por dia, mais que a taxa de mortos por doenças como câncer e AIDS. A cada 40 segundos, uma pessoa morre por suicídio no mundo. Um mal silencioso que pode atingir qualquer um em qualquer idade.

  • Como podemos definir o suicídio?

Suicídio é um gesto de autodestruição, realização do desejo de morrer ou de dar fim à própria vida. É uma escolha ou ação que tem graves implicações sociais.

  • O que leva uma pessoa a se matar?

Normalmente não é um motivo único, e sim um conjunto de situações e a pessoa tem necessidade de aliviar pressões externas como cobranças sociais, culpa, remorso, depressão, ansiedade, medo, fracasso, humilhação, etc.

  • Como se sente quem quer se matar?

É um estado interior chamado de ambivalência. A pessoa combina sentimentos e ideias conflituosas, buscando atenção por se sentir esquecida ou ignorada, com uma enorme solidão. Outras pessoas sentem vontade de desaparecer, fugir ou de ir para um lugar ou situação melhor. Quase sempre, sentem uma necessidade de alcançar paz, descanso ou um final imediato ao seu sofrimento.

  • Pessoas que ameaçam se matar podem desistir da ideia?

Sim, podem. Ao receber ajuda preventiva ou oferta de socorro diante de uma crise, elas podem reverter à situação ao colocar para fora seus sentimentos, ideias e valores, alterando, assim, seu estado interior.

  • Quem está por perto pode ajudar? Como?

Sim, pode. A pessoa que está numa crise suicida se percebe sozinha e isolada. Se um amigo se aproximar e perguntar “tem algo que eu possa fazer para ajudar?”, a pessoa pode sentir abertura para desabafar. Nessa hora, ter alguém para conversar pode fazer total diferença.

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias.

Falar sempre é a melhor opção. Peça ajuda ou ofereça ajuda.