LGPD e ERP: tecnologia para a segurança dos dados e armazenamento
22435
post-template-default,single,single-post,postid-22435,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

LGPD x ERP: tecnologia a favor do armazenamento e segurança dos dados

como a tecnologia do ERP ajuda com a LGPD

Sancionada em 2018, a LGPD já passou por diversas alterações em sua data de entrada em vigor e isso ainda gera dúvidas e muito receio nas organizações. Afinal, todas as empresas estão sujeitas a reavaliar a forma como gerenciam os dados de clientes, fornecedores e colaboradores.

No último mês de agosto, a MP 959/20 (Medida Provisória) foi aprovada na câmara dos deputados e passou por votação no senado, então, a Lei Geral de Proteção de Dados passará a valer assim que o presidente assinar essa documentação, o que deve ocorrer ainda em setembro.

Contudo, as penalidades por não conformidade serão aplicadas somente a partir de agosto de 2021. Então, as empresas precisam se adequar o quanto antes e buscar tecnologia apropriada para esta realidade.

Nosso foco hoje, é abordar como a tecnologia do ERP pautado na adequação às exigências legais, é facilitadora nesse processo de ajustamento à nova realidade. Confira o conteúdo e veja como a tecnologia ajuda no armazenamento e segurança dos dados!

Veja a importância da LGPD no cenário atual

Vamos começar com um dado interessante: você sabia que em 2019, o Brasil ocupava o quarto lugar de país que mais sofreu ataques cibernéticos? Estamos atrás apenas de EUA, Rússia e China.

Ou melhor, sabia que em um prazo de 3 meses o Brasil teve mais de 1,5 bilhão de tentativas de ataques cibernéticos no primeiro trimestre? Os dados são da empresa americana Fortinet, especializada em cibersegurança.

O objetivo do cibercriminoso é apenas um: conseguir informações e dados sensíveis, a fim de trocar por valiosos Bitcoins.

E quem são os alvos preferidos? Sim, as empresas, responsáveis por deter um número maciço de informações sobre clientes, fornecedores, vendedores, parceiros e colaboradores.

Sendo assim, o objetivo da LGPD é buscar reforçar a proteção, armazenamento, manejo e distribuição dos dados de uma empresa. A verdade é que se trata de uma maneira de responsabilizar as organizações por negligenciar o bem mais valioso de uma pessoa, suas informações pessoais.

Por exemplo, consegue imaginar o estrago que um “vazamento” de dados pode causar a diversos vendedores que tiveram seus documentos pessoais (RG e CPF), endereço residencial e remuneração divulgados a terceiros, correndo o risco de sequestro de informações em troca de resgate monetário?

Já para a empresa, o peso será diretamente no bolso, uma vez que haverá multa de 2% do seu faturamento.

Portanto, é esse tipo de situação que a LGPD visa eliminar, mas exigirá muita transformação nos processos empresariais. Além disso, os próprios consumidores terão mais controle sobre quais informações pessoais não desejam disponibilizar.

Todavia, não há necessidade para desespero ao achar que não conseguirá se adequar, visto que você ainda tem alguns meses e, sobretudo, a tecnologia à disposição, mais especificamente com o ERP, veja a seguir!

A ausência ou baixa qualidade do ERP influencia no contexto de adequação?

A primeira solução tecnológica que vem à mente quando falamos em LGDP é, sem dúvidas, o ERP. Por outro lado, temos também o CRM, grande ferramenta centralizadora de dados e informações que, normalmente, está integrada ao ERP.

Dito isso, já podemos responder à pergunta: sim, a ausência do ERP ou mesmo a presença de um sistema de qualidade dúbia, pode trazer mais riscos do que benefícios na adequação à LGPD, veja o porquê.

Atualmente, é raro ver uma organização que não faça uso de algum tipo de solução, seja ela um ERP, CRM, BI e por aí vai.

Mas para o caso das organizações que não dispõem de uma ferramenta o cenário de adequação será inviável, pois não haverá os meios para atender o que a Lei pede. Logo, essa possibilidade deve ser descartada o quanto antes.

No entanto, não pense você que apenas ter um ERP é suficiente para acomodar a LGPD. Deve haver qualidade na construção do sistema, integridade na segurança dos dados, zero vulnerabilidade a ataques e suporte constante do fornecedor.

Por exemplo, qual o nível de segurança seu sistema oferece? Existem níveis de restrição para acesso de terceiros não-autorizados? Quais brechas são observadas na segurança das informações?

É fundamental entender que a LGPD não é algo para penalizar as empresas, mas sim para trazer mais organização e estimular a segurança intrínseca à sensibilidade das informações pessoais de cada indivíduo.

A saída mais prática, portanto, é analisar qual o ERP mais adequado para acompanhar suas demandas, com o intuito de cumprir cada aspecto da nova Lei.

3 maneiras que um ERP auxilia no ajustamento à LGPD

Abaixo você encontrará 3 facilidades trazidas por um ERP confiável e desenvolvido para atender todas as obrigações legais, acompanhe!

1 – Coloque ordem com a limitação personalizável de acesso aos dados

Para cumprir à risca a finalidade e exigência da LGPD, seu negócio precisará garantir a integridade e privacidade de cada indivíduo pertencente ao banco de dados.

O ERP oferece o recurso de personalizar o acesso aos dados, através de filtros é possível designar cada profissional devidamente autorizado a acessar apenas informações pertinentes às suas funções, melhorando o controle dos acessos.

2 – Encarregue um profissional para gerenciar o cumprimento à LGPD

Seja por meio de uma contratação externa ou designação interna, é fundamental indicar um profissional responsável por garantir que a LGPD seja cumprida à risca.

O ERP irá facilitar e muito essa questão, pois centraliza, integra e fornece um panorama amplo das informações e dados, com isso haverá maior facilidade na fiscalização da atividade de manejo dos dados.

3 – Segurança dos dados de toda a organização

Chegamos à etapa mais imprescindível para um cenário vigente de LGPD, a segurança dos dados. Afinal, todas as ações serão voltadas a fortalecer esse elemento. Portanto, analise cada solução almejada, faça testes e demonstrações.

É crucial determinar todos os aspectos, qualidades e escalabilidade da ferramenta. Aproveite que ainda tem alguns meses e comece a adequação aos poucos, assim você terá margem para reavaliar processos e mudar o que não está em conformidade.

Já tem uma solução? Gostaria de melhorá-la? Já ouviu falar em implantação remota de ERP? Essa pode ser uma boa alternativa para economizar no “upgrade” e pode apostar, os resultados fazem toda a diferença.

Quer conhecer uma solução de ERP 100% Cloud, que foi desenvolvida e preparada para atender cada necessidade do seu negócio? Uma solução sólida em segurança dos dados e com escalabilidade que potencializa seu crescimento?

Então, acesse para conhecer o SISPRO ERP Cloud, com gestão e inteligência estratégica, pronta para acomodar cada mudanças trazida pela LGPD. Venha solicitar uma demonstração agora mesmo e surpreenda-se!

Tags: