Ativo circulante e ativo não circulante: conheça as diferenças
28748
post-template-default,single,single-post,postid-28748,single-format-standard,ehf-footer,ehf-template-sispro,ehf-stylesheet-sispro-child,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-7.6,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-23911
 
Blog

Ativo circulante e ativo não circulante: quais as principais diferenças

ativo circulante

A boa gestão de ativos é aquela capaz de maximizar os lucros da empresa a partir da análise dos bens que estão em poder da organização. 

Nesse cenário, para existir um bom controle patrimonial, é importante que a equipe saiba o tipo de retorno que cada bem pode gerar para o negócio, para, a partir disso, decidir quais são as ações que valem ou não o investimento.

Pensando nisso, no blog post de hoje vamos responder a uma dúvida frequente da gestão do patrimônio: quais são as diferenças entre ativos circulantes e ativos não circulantes. 

Siga a leitura e veja todas as particularidades desses bens que, quando bem administrados, garantem bons retornos para o seu negócio!

O que é ativo circulante e não circulante?

Primeiramente, é importante ressaltar o conceito que os ativos carregam no contexto contábil e financeiro, uma vez que essa compreensão é essencial para entender por que são estes os bens que garantem a estabilidade de uma empresa. 

Ativos são todos os recursos que a empresa controla e que têm possibilidade de gerar lucro. Ou seja, todos aqueles bens que, uma vez adquiridos, podem, em algum momento, beneficiar o negócio do ponto de vista econômico. 

Nessa ótica, dentro dos processos da gestão patrimonial, destacam-se dois tipos principais de bens que geram lucro ao negócio: o ativo circulante e o ativo não circulante. Esses ativos são caracterizados da seguinte forma:

Ativo circulante:  

São todos os bens que têm o potencial de gerar lucro para a empresa a curto prazo, considerando, por exemplo, o período de um ano.

Em um vocabulário corriqueiro, diríamos que são os ativos que, como o próprio nome sugere, “circulam” mais.

Ativo não circulante 

São os bens que só geram lucros, ou seja, podem ser negociados no mercado em um prazo maior, em geral, superior a um ano. 

Assim, como também sugerido pelo nome, estes ativos “circulam menos”. Tendem a ficar por mais tempo em poder da empresa. 

Diante dessa classificação, destaca-se a principal diferença entre estes tipos de ativos: o tempo de realização até que se transformem em recursos econômicos. 

O que compõe os ativos circulantes e não circulantes?

À primeira vista, pode-se pensar que os ativos circulantes são melhores para a empresa, visto que proporcionam lucro em menor tempo. 

Contudo, na avaliação de bens é fundamental levar em consideração que, para a saúde do caixa do negócio, importa tanto o curto como o longo prazo. 

Uma ótima ilustração para isso é compreender o que compõe cada um desses ativos. Então, considere os seguintes exemplos:

São considerados ativos circulantes:

  • Caixa: dinheiro disponível no presente para investir e repor o estoque;
  • Contas a receber: valores a serem recebidos no ano corrente, em geral, pagos por clientes; 
  • Estoques: todos os bens armazenados destinados à venda ou à produção de outros bens no ano-calendário;
  • Investimentos de curto prazo: aplicações financeiras temporárias, com saque possível em período inferior a 12 meses;

São considerados ativos não circulantes:

  • Investimentos de longo prazo: participações societárias e outros investimentos com resgate previsto para períodos superiores a um ano;
  • Imobilizado: bens tangíveis utilizados na operação da empresa, como máquinas e equipamentos que fazem parte da cadeia de produção;
  • Intangível: ativos não físicos, como marcas, patentes e softwares adquiridos pela empresa, e que geram lucro a médio e longo prazo;

Qual a importância da gestão de ativos circulantes e não circulantes?

Se considerarmos que o potencial da gestão de ativos é maximizar os lucros do negócio a partir dos bens que já estão sob controle da empresa, entenderemos a importância dessa administração está na saúde financeira do negócio.

Especificamente sobre o gerenciamento de ativos circulantes e não circulantes, a relevância de administrar adequadamente estes bens reside, mais uma vez, em uma noção de prazo. Assim, problemas na gestão de ativos estão, em geral, ligados a não atentar ao papel que cada um desses bens têm para o sucesso da empresa.

Dessa forma, vale destacar que são os ativos circulantes que asseguram a capacidade de pagamento das obrigações de curto prazo que a empresa possui. 

Em contraste, é graças a uma gestão cuidadosa do ativo não circulante que a prosperidade do negócio a longo prazo é resguardada, visto que são estes os bens capazes de colaborar para uma geração de valor contínua.

Como a tecnologia pode ser uma aliada no controle de ativos?

Uma vez compreendida a importância das diferenças entre os ativos circulantes e não circulantes, bem como o destaque que estes bens merecem para a sustentabilidade do negócio, é essencial que destaquemos o papel da tecnologia no controle de ativos. 

Sistemas de gestão integrada, softwares de controle financeiro e ferramentas de compilação e análise de dados permitem uma administração precisa e robusta dos ativos. Gerando, ainda, estimativas de lucros e direcionando investimentos no negócio. 

Além disso, as soluções automatizadas facilitam a tomada de decisões estratégicas, já que proporcionam uma rotina com maior eficiência operacional para a gestão de projetos e investimentos que a empresa pretende realizar no período.

Por isso, atualmente, contar com a tecnologia no dia a dia da gestão de ativos significa dispor de mais recursos para potencializar os lucros que os ativos são capazes de trazer para o seu negócio.

Se você deseja saber mais sobre esse tema, confira o material exclusivo que preparamos sobre como otimizar o controle de ativos com o auxílio do que há de mais moderno no mercado. 

Saiba mais sobre o guia completo e gratuito agora mesmo para elevar o seu controle de bens para o próximo nível!