SPED e IFRS demandarão maior fôlego das empresas em 2010 | SISPRO
1096
post-template-default,single,single-post,postid-1096,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

SPED e IFRS demandarão maior fôlego das empresas em 2010

Uma grande lista de demandas fiscais e legais fará com que empresas de vários segmentos atualizem suas tecnologias e equipes para o cumprimento das exigências e prazos.

Uma nova etapa do calendário do Programa de Escrituração Fiscal da Receita Federal, o SPED, e da adequação da contabilidade brasileira às normas internacionais IFRS (International Financial Reporting Standards), promete demandar maior fôlego das empresas para que possam cumprir às exigências legais e fiscais.

Entre as exigências que devem ser atendidas de janeiro a dezembro de 2010 estão: ECD (Escrituração Contábil Digital), FCONT (Controle Fiscal Contábil de Transição), e-Lalur (Livro de Apuração do Lucro Real), EFD (Escrituração Fiscal Digital), Folha de Pagamento Digital, Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico de Cargas), além da adequação do balanço patrimonial à Lei 11.638 e às normativas do CPC (Comitê de Pronunciamento Contábil), CVI (Comissão de Valores Imobiliários) e CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e IAS 36 (International Accounting Standards). Uma enorme quantidade de exigências que podem provocar muita dor de cabeça para os administradores e profissionais contábeis se as empresas são adotarem um bom planejamento e não atualizarem seus sistemas e treinarem suas equipes.

A SISPRO, fornecedora de software e serviços para Gestão Empresarial, Finanças e de Controle Patrimonial, estima para este ano de 2010 uma forte movimentação das empresas para garantir o atendimento às estas demandas. Para garantir que seus clientes obtenham sucesso em seus projetos, a empresa investe no fortalecimento de sua capacidade de atendimento personalizado às empresas que necessitam cumprir os prazos legais a partir da oferta de software e serviços avançados, incluindo consultoria.

A campanha “SPED no Prazo Sem Atraso”, da SISPRO, é composta por um pacote de serviços e software. Conta com apoio de uma equipe de profissionais capacitados a atender a todas as demandas das empresas no processo de gestão financeira e de escrituração fiscal , sejam elas de qualquer porte e segmento, que não possuem ferramentas de TI que podem ajudar a atender às exigências fiscais.

Para a adequação do Patrimônio, a SISPRO oferece o software SISPRO Patrimônio e os serviços de consultoria, que inclui a realização de Testes de Impairment, garantindo o atendimento à Lei 11.638/07 e seguindo a normativa 527 da Comissão de Valore Mobiliários, do CPC 01 e IAS 36.

O software SISPRO Patrimônio está preparado para atender à adequação às normas internacionais IFRS e possui a liderança de seu mercado, segundo pesquisa da  FGV. A ferramenta oferece um conjunto de funcionalidades e ampla capacidade de integração com quaisquer ERP do mercado. Entre suas principais funcionalidades está a capacidade de permitir às empresas atenderem às normativas IN68/1995 e IN86/2001, Portaria INSS/DIREP 42/2003 e ao MANAD/2006. Também oferece ao gestor, completo controle sobre o patrimônio físico, contábil, gerencial, fiscal e tributário, além de garantir a gestão dos bens intangíveis, tais como marcas, direitos e patentes.

A intensificação da campanha “SPED no Prazo Sem Atraso” e da oferta de serviços para a adequação do Patrimônio à Lei 11.638 – que completou um de vigência em janeiro – faz parte da estratégia da SISPRO em ampliar sua atuação no mercado. Para Lourival Vieira, diretor de Marketing da SISPRO, o cenário é propicio para as empresas de TI que podem oferecer a tecnologia necessária para auxiliar as empresas a cumprirem esta longa lista de necessidades. Para ele, “os administradores e contabilistas não têm muito tempo a perder e necessitam de todo o apoio possível. Cada vez mais os métodos de gestão no Brasil avançam para um alinhamento e convergência aos padrões internacionais. E as tecnologias devem acompanhar esta evolução” afirma o executivo.