Gestão de talentos será principal aposta para 68% dos CEOs | SISPRO
4800
post-template-default,single,single-post,postid-4800,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Gestão de talentos será principal aposta para 68% dos CEOs

por FinancialWeb

Pesquisa aponta ingresso da geração Y no mercado de trabalho como principal motivo para nova visão estratégica

SÃO PAULO – Gestão de pessoas será um dos principais investimentos dos executivos latino-americanos para os próximos três anos. Segundo pesquisa da consultoria Korn/Ferry International, 68% dos CEOs das companhias da região optarão por programas de capacitação de equipes e preparação de potenciais sucessores. Somente no Brasil, a medida será adotada por 74% dos presidentes.

“Os dados apontam para uma mudança importante de cenário. Se antes as empresas se preocupavam em buscar bons profissionais no mercado, hoje a atenção está voltada para a identificação de talentos e desenvolvimento de pessoas na própria equipe”, analisou Sérgio Averbach, presidente da Korn/Ferry para a América do Sul.

De acordo com os CEOs entrevistados, entre os principais motivos desse novo foco está a chegada da geração Y, pessoas que nasceram após 1980, ao mercado de trabalho. Esses profissionais são responsáveis por mudanças mais freqüentes e profundas nas relações com as empresas.

Para 16% dos participantes da pesquisa, esse grupo é responsável pelo aumento da distância entre indivíduos e organização, por conta de uma ligação menor com o trabalho. Já 10% afirmam que esse tipo de colaborador apresenta mais equilíbrio entre a vida profissional e pessoal.

Nesse cenário, a necessidade de compreender a diferença entre engajamento e lealdade torna-se crítica para as empresas. Segundo Averbach, colaboradores mais antigos nas companhias podem ser vistos como mais leais e menos engajados em mudanças ou em esforços de transformação. O oposto acontece com os jovens da geração Y.

“A chave está em entender as diferenças e investir na implementação de programas de desenvolvimento de carreiras que enderecem claramente as especificidades de cada perfil e equipe, sempre de olho na retenção dos principais talentos – e com atenção especial aos potenciais”, afirmou.

Fonte:Financialweb – 29/12/2009