Inovação: qual o posicionamento do Brasil diante esse conceito
17953
post-template-default,single,single-post,postid-17953,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Como o Brasil se posiciona diante à busca pela inovação

A busca pelo desenvolvimento de um país é estruturada em diferentes pilares e uma dessas bases é a inovação. Esse conceito é frequentemente remoldado e implementado em diferentes empresas, a fim de impulsionar o empreendimento à evolução.

Nesse contexto, olhar apenas para os modelos internacionais, onde a inovação é o principal foco, não soluciona em nada as dificuldades que o Brasil atravessa. Sendo assim, objetivamos uma análise precisa sobre o posicionamento do nosso país acerca das renovações estruturais necessárias.

Fique por aqui e descubra qual é o posicionamento do Brasil quando o assunto é inovação. É preciso reconhecer a realidade para que possamos encontrar a melhor maneira de driblar as adversidades, pois o futuro pertence a quem busca o novo, confira!

O Brasil se debate em meio a tantas possibilidades

Vamos primeiramente nos atentar ao significado tangível do termo inovação. O conceito fomenta a criação de um produto, serviço ou processo, que seja inédito para a empresa ou mercado e sempre baseado em novas tecnologias.

Consideradas primordiais para promover a geração de empregos, a inovação e pesquisa devem ser estimuladas frequentemente. Nesse sentido, O Brasil como um todo, deve se atentar à parceria entre o setor privado, as academias e o governo, pois somente assim é viável promover tal conceito.

Além disso, deve se estruturada em três eixos essenciais para maior eficiência das práticas inovadoras, são eles: redução do valor da tecnologia, acesso facilitado à informação e maiores chances de melhorias ambientais e sociais aos empreendimentos.

O que mais pesa na questão das possibilidades de crescimento é que o país possui as ferramentas certas para evoluir. Os principais investimentos têm sido aplicados às áreas da ciência, tecnologia e inovação, no entanto, de forma isolada.

Empreendimento e inovação devem se aproximar

posicionamento do Brasil quanto a inovação

Indiferente ao potencial da nação é necessário encurtar os laços entre empresa e inovação. Dessa forma, ao invés de aguardar que o mercado se desenvolva a ponto de oferecer melhorias às empresas, é papel intrínseco as mesmas promoverem essas diretrizes.

Esse assunto deve ser iniciado ainda nas universidades, pois é onde o empreendedorismo é absorvido com efetividade. Em poucas palavras, os conceitos devem se tornar diretrizes constantes nas universidades, pois caracteriza maiores chances de reverter o quadro brasileiro.

O resultado é a aparição de profissionais cada vez mais jovens com perfil inovador. Afinal, é preciso muito mais do que apenas tecnologia de ponta, isto é, profissionais capacitados para aplicar essas tecnologias buscando a diferenciação constante dos processos.

Brasil amarga posição negativa no IGI (Índice Global de Inovação)

Apesar de todo seu potencial para o crescimento o Brasil ainda é muito inexpressivo nesse campo. Se comparado aos países considerados Elite na inovação, o Brasil precisa de grandes ondas de desenvolvimento.

Mesmo quando comparado a outros países da América Latina fica atrás de Chile, Uruguai, Panamá, Colômbia e Costa Rica. Portanto, não se posiciona nem mesmo entre os 5 mais inovadores da América Latina.

Em poucos anos o país rumou no sentido contrário, pois desceu mais de 20 posições no ranking de países inovadores. Se comparado a Suíça o Brasil precisaria aumentar os investimentos em mais de 60% nos conceitos de inovação, e aguardar que o retorno atingisse algo em torno de 170% apenas para se igualar à Suíça.

Esse ambiente de involução é caracterizado por baixos investimentos, burocracia excessiva, recursos circunstanciais e um cenário de negócios desfavorável à inovação.

Estímulos à inovação através do universo das startups

Dentre tantas adversidades apresentadas temos um cenário que pode realmente transformar a realidade. Além das empresas que estimulam palestras e programas voltados a inovar, temos as Startups brasileiras como ferramenta vital.

Segundo especialistas é necessário que haja maior encorajamento ao desenvolvimento de empresas startups. Isso porque, esse perfil de empreendimento representa um instrumento valioso na criação de desenvolvimento e de renda.

Logo, o Estado deve assumir responsabilidade constante pela promoção e estímulo às empresas. Isso deve ocorrer de duas maneiras distintas:

  • Incentivar o contato e a conexão entre startups e universidades;
  • Promover maior movimentação na venda de soluções a empresas de médio porte.

Voltando a parceria com as universidades é fundamental identificar o perfil universitário relacionado aos temas de inovação, pois fica mais fácil trabalhar o empoderamento desses estudantes. Além disso, empresas de médio porte devem também se abrir a possibilidade de parceria, uma vez que as ações se caracterizam de maneira simples.

Dados importantes sobre a inovação no país

Se existe um aspecto que apresenta maior veracidade da situação do Brasil quanto à inovação são os números. Separamos alguns dados de pesquisas realizadas desde 2017 que formam um quadro aproximado, acompanhe!

  • Brasil ocupa o 64° no IGI (Índice Global de Inovação) entre 126 países;
  • Brasil despencou 22 posições entre 2011 e 2017;
  • O país possui pouco mais de 0,03% de 10 milhões de patentes no mundo;
  • Pouco mais de 1,28% do PIB é investido em desenvolvimento e pesquisa;
  • Apenas 37% das empresas industriais são conhecidas como inovadoras.

Até 2017 o país ocupava o 69° lugar no IGI, mas como você viu acima melhorou 5 posições esse ano. Isso mostra uma melhora pequena, porém um indício de que a inovação está mais em pauta do que no ano anterior.

Ainda que tudo aponte para o contrário é apenas uma questão de tempo até o país se voltar por completo a essa necessidade. Além dos investimentos condizentes com a realidade é possível promover a inovação de forma simples e diária.

Por meio de uma cultura organizacional voltada ao futuro é viável aplicar os conceitos de inovação. Seja no desenvolvimento de um novo processo ou em uma palestra ministrada por profissionais capacitados, a inovação deve sempre estar presente, a fim de se tornar uma constante diária e indispensável!