Startups brasileiras: qual é o cenário de crescimento atual
17948
post-template-default,single,single-post,postid-17948,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Qual é o cenário das Startups brasileiras hoje

cenário atual das startups brasileiras

Não há como falar em inovação e mercado brasileiro sem citarmos o crescimento acentuado das startups. Existe um fato curioso nesse cenário, pois sabemos que a economia não facilita o desenvolvimento do empreendedorismo, mas ao mesmo tempo as startups brasileiras apresentam crescimento constante e expressivo.

Atualmente existem mais de 10 mil startups no Brasil, somando as que tiraram a ideia do papel e aquelas que ainda nem efetivaram seu CNPJ. Segundo os dados da Associação Brasileira de Startups (ABS), em 2012 eram pouco mais de 2,5 mil atuantes.

Portanto, entendemos que existe um crescimento acentuado, mas que em termos de números fica atrás de outros países. O capital para investimento aumenta a cada dia e aliado à qualificação dos empreendedores, é questão de tempo até o sucesso.

Alinhamos algumas informações sobre o cenário atual das startups brasileiras, que mostram que o brasileiro sai cada vez mais da sua zona de conforto e não se sente intimidado em empreender em um país voltado à duros trâmites. Acompanhe!

Como o empreendedor brasileiro encara as dificuldades

A coragem do empreendedor brasileiro é mundialmente conhecida, pois uma pesquisa realizada por uma startup americana mostra que entre 15 países o Brasil fica em quinto lugar, quando o assunto é persistência em empreender.

Essa posição é bastante diferente da realidade em empreender, visto que o Brasil ficou nas últimas colocações. A resolução que tiramos disso é de que o empreendedor brasileiro é destemido ao empreender, mas que ainda existe muita resistência advinda de diferentes desafios.

Contudo, é nesse momento em que brilha o empreendedorismo do brasileiro, pois é da dificuldade da situação que surgem grandes possibilidades. Esse aspecto é um ponto positivo se comparado aos Estados Unidos ou qualquer país desenvolvido, que não apresentam muitas adversidades para empreender.

Compreenda as startups brasileiras em números

cenário atual das startups brasileiras

Agora que já mencionamos um pouco do universo de quem empreende em um mercado que oferta distintos empecilhos, vamos analisar as startups brasileiras em números, confira!

Distribuição e principais setores ocupados

Como já era de se esperar a distribuição geográfica pende mais para o estado de São Paulo com incríveis 31% do total das startups. Minas Gerais e o estado do Rio de Janeiro ficam bem próximos com 9% e 8% respectivamente.

Entenda um pouco sobre os setores mais abrangidos:

  • Elaboração e Desenvolvimento de Software
  • Educação e suas aplicações;
  • Internet.

Podemos observar um direcionamento específico aos setores de inovação, tecnologia e desenvolvimento. Afinal, esse é o mote do universo das startups e influencia ainda mais sua escalabilidade, pois presenciamos os conceitos da inovação e tecnologia diariamente em nossas vidas.

Não podemos deixar de apontar também a presença de um tipo particular de startup, a famosa Fintech. Voltada ao setor financeiro tem como objetivo a inovação e otimização do Sistema Financeiro como um todo.

Faturamento estimado de um empreendedor

Um estudo de 2016 aponta que mais de 70% das startups brasileiras não faturam mais do que R$50 mil ao ano. Todavia, existe uma parcela crescente e que já faturava mais de R$500 mil ao ano.

Esses números foram levantados em 2016, mas em 2 anos a tecnologia avançou consideravelmente e podemos assumir números maiores de faturamento. No decorrer do conteúdo vamos apontar alguns desafios que influenciam no faturamento das startups.

Como estão estruturadas

Ainda seguindo os dados adquiridos pelo estudo acima podemos observar com mais clareza a estruturação desses empreendimentos. Já formalizadas somam mais de 80% do montante total, sendo que quase 90% possuem um plano de negócios sólido.

Um dos fatores que contribuem para a motivação e investimento é a presença de diferentes sócios. Podemos dizer que é mais fácil um investidor aplicar seu dinheiro em uma startup com 3 sócios do que em um empreendimento com apenas 1 participante.

Com apenas um participante é provável que o investidor enxergue isso como uma possível receita para o fracasso. Na contramão, quanto mais participantes, maior é o nível de competência e provável investimento.

Empresas aceleradoras

Empresas aceleradoras são extremamente relevantes para as startups brasileiras, uma vez que ajudam na escalada do negócio. Como o próprio nome sugere essas empresas aceleram grande parte dos processos, a fim de oferecer maiores chances de conquistar espaço no mercado.

Empresas responsáveis por esse impulso utilizam técnicas como:

  • Vivência experimental;
  • Consultoria adequada ao nicho de atuação;
  • Capacitação dos integrantes;
  • Mecanismos e metodologias de mentoria;
  • Facilitam o acesso a investimentos e cruciais recursos.

Segundo a FGV (Fundação Getúlio Vargas) das quase 250 empresas aceleradoras existentes, 41 se encontram no Brasil. Isso denota grande expressividade, tanto em território nacional quanto internacional.

Você deve estar se perguntando o que as empresas aceleradoras ganham com tal serviço, é simples. Ao oferecer tal contribuição recebem em troca a participação proporcional no projeto.

Desafio das startups brasileiras

O maior desafio desse tipo de empreendimento está no financiamento, ou seja, conseguir investimento para colocar as ideias e planejamentos em prática. Isso acontece até mesmo com as instituições tradicionais como bancos, pode ser trabalhoso conseguir financiamento.

Isso porque, devido ao tipo de trabalho desempenhado, as instituições assumem como risco, uma vez que não existem garantias sem deixar de lado a natureza e perfil das tradicionais instituições financeiras.

Diante as adversidades há um lado positivo. O perfil dos empreendedores que montam suas startups costuma ser técnico, possuem formação em engenharia, TI, física, biotecnologia e química, por exemplo.

Essa formação viabiliza melhor direcionamento ao desenvolvimento específico do produto ao invés de focar no mercado. Desse modo, podem aplicar todo seu conhecimento no planejamento, elaboração e execução dos mais variados serviços e produtos.

Esperamos ter apresentado um pouco da realidade das startups brasileiras. Se depender da vontade de empreender e da constante expansão do setor, acredite, ainda vamos ouvir falar muito de startups!