FISCO ainda mais rigoroso com aumento da abrangência do SPED | SISPRO
8813
post-template-default,single,single-post,postid-8813,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

FISCO ainda mais rigoroso com aumento da abrangência do SPED

Com o objetivo de combater a sonegação fiscal, a Receita Federal possui um cronograma de fiscalizações com meta de arrecadar R$ 125 bilhões em 2016, mesmo valor apurado em 2015. Já foram R$ 73,2 bilhões em autuações de janeiro a agosto. Cuidado para não ajudar a pagar esta conta, pois faltam ainda R$ 51,8 bilhões! As indústrias representam 41% deste valor, seguido pelo setor de serviços (11%) e instituições financeiras (10%). Com menor impacto, as pessoas físicas representam 1,75% do total dos créditos lançados.

 

Cada vez mais é necessário buscar soluções internas e externas para melhorar a qualidade das informações apuradas, aumentando assim o controle e a segurança dos arquivos entregues ao SPED, devido ao cruzamento de dados executado.

Os contribuintes estão cada vez mais expostos à fiscalização eletrônica com os cruzamentos de informações existentes ao utilizar o SPED e meios eletrônicos para demonstrar o pagamento de impostos. Os mesmos impostos são verificados em diversas obrigações fiscais, como por exemplo, o valor do PIS a Recolher, lançado na EFD-Contribuições. Este deve ser o mesmo informado na DCTF, ECF e ECD. No caso de divergências, será realizada uma fiscalização mais assertiva e direcionada.

 

O melhor é prevenir para não ter surpresas no futuro e não dar margens para dúvidas e desencontros de informações!

As empresas devem prestar informações que realmente são fatos contábeis registrados em sua escrituração.

 

Audite seus arquivos, garantindo conformidade com a legislação vigente.

Evite créditos tributários lançados em autuações fiscais desnecessárias.

Fique atento a todos os detalhes, pois pequenos erros não passarão despercebidos no SPED.