RH agora tem dicionário próprio | SISPRO
7683
post-template-default,single,single-post,postid-7683,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

RH agora tem dicionário próprio

Job Rotation, Team Building, Headhunting, você sabe o que significam essas expressões? Linguagem típica de especialistas e de departamentos de Recursos Humanos (RH) nas grandes empresas, muitas vezes, parece outro idioma. O mercado de trabalho está mais competitivo dia após dia e as empresas recrutam os profissionais mais qualificados e antenados.

Para ficar tudo mais claro, seguem a definição de alguns termos usados atualmente no RH:

Headhunting
O processo onde uma empresa de consultoria especializada recruta e seleciona no mercado de trabalho um profissional (candidato) com o perfil definido para determinado cargo, especificado por outra empresa que contratou o serviço. Diferente do que muitos pensam o headhunter consultor especializado ou “caça talentos” não trabalha para um profissional, buscando vagas para ele. o contrário. Trabalha para as empresas com cargos definidos em aberto, buscando os profissionais mais adequados para preencher as necessidades das organizações. O processo de headhunting costuma ser chamado de executive search quando a busca se refere aos níveis de gestão de uma empresa.

Outplacement
Assim que um profissional é desligado de uma empresa, consultorias de outplacement o acolhem, desde o momento da sua demissão e orientam no sobre a melhor maneira de recomeçar, aconselhando e auxiliando no redirecionamento da sua carreira como executivo, empresário ou mesmo para aposentadoria. Outplacement e recolocação no mercado de trabalho, no Brasil, são geralmente serviços semelhantes, mas no caso do outplacement quem remunera a prestadora de serviço é a empresa que demitiu/desligou o funcionário e, no caso da recolocação, quem remunera a prestadora costuma ser o próprio profissional.

Muitos profissionais confundem empresas de outplacement com empresas de hunting (recrutamento e seleção). São serviços diferentes que estão em lados opostos no mercado: enquanto hunting atende às necessidades de organizações, outplacement atende às necessidades de profissionais. Geralmente uma mesma empresa não atua nas duas pontas, pois pode haver conflitos de interesses difíceis de gerenciar.

Assessment
Assessment significa avaliação de perfil profissional. É um processo, utilizado cada vez mais nas organizações, que tem por objetivo a identificação e avaliação de competências e potencial dos colaboradores, através de testes e técnicas próprias. A condução geralmente é feita por profissionais especializados e certificados, sejam eles da mesma empresa ou de empresas contratadas para efetuarem tais avaliações. Este processo estruturado e controlado pode ajudar no plano de carreira de um profissional, que analisa quais competências já estão mais desenvolvidas e quais competências ainda podem ser aprimoradas.

Coaching / Coach / Coachee
Virou “moda” fazer coaching. O processo entrou de vez nos investimentos das empresas em suas equipes. Mas isso porque, quando bem aplicado, funciona sim. Mas afinal, o que é isso? um processo em que um profissional foca em desenvolver e potencializar as competências que mais lhe faltam ou nas quais ele tem dificuldade, como, por exemplo, paciência, próatividade, flexibilidade. “Por meio de reflexões e conclusões, o indivíduo deve achar suas próprias respostas, com o objetivo de melhorar a forma de pensar e agir”, explica Alexandre Sabbag, sócio da Boyden, uma das empresas globais líderes em recrutamento e seleção de executivos, presente no Brasil há mais de 45 anos.

Dentro deste processo, participam o coach e o coachee: coach é o profissional que aplica o coaching. Ele deve ser treinando e qualificado para isso. Existem diversos cursos de formação extremamente respeitados pelo mundo, que emitem certificados e garantem a qualidade do processo. Coachee é o profissional que recebe o coaching. Um coach tem as melhores perguntas e um coachee tem as melhores respostas.

Mentoring Geralmente é traduzido como tutoria, mentoria ou apradrinhamento. um método profissional de desenvolvimento. Um mentor normalmente alguém com mais experiência na mesma área de atuação passa conhecimento, dicas e conselhos com o objetivo de orientar o profissional menos experiente. “Mentoring não é sinônimo de coaching”, reforça Sabbag.

PNL (Programação Neurolinguística)
Um processo educacional sobre como usar melhor o nosso cérebro, ou seja, nos ajuda a captar e registrar informações, que vão desde estruturação e processamento destas informações, através dos cinco sentidos. A partir disso, o cérebro mantém e produz padrões de pensamentos, comportamentais, emocionais e comunicacionais apresentados de forma consciente ou inconsciente em nosso dia a dia. uma prática que já foi mais utilizada nas décadas passadas e cuja aplicação ao ambiente corporativo pode gerar controvérsias.

Job Rotation
Movimentação onde o profissional, para aprender mais sobre um negócio, passa por diversas áreas de uma empresa. Desta maneira, passa a entender não somente os processos e rotinas como também os diferentes pontos de vista e interfaces. ” uma prática adotada por muitas empresas paratornar mais eficiente o aprendizado do colaborador que desenvolve uma visão mais sistêmica e empática das relações”, explica Sabbag. O job rotation geralmente é uma movimentação lateral, não implicando necessariamente em promoções.

Interim Management
Uma solução na qual executivos e gestores assumem, por um período de tempo limitado (interinos), o controle executivo de um ou vários departamentos de uma organização. Podem ser tarefas gerenciais típicas ou a gestão de situações para as quais as empresas não têm recursos humanos especializados, com experiência prévia ou disponível no momento. Geralmente, o gestor interino (Interim Manager), retirasse da empresa, ou retorna às suas funções normais, assim que o período e objetivo proposto forem cumpridos.

Turnaround
Frequentemente traduzido como “virar o jogo” ou “dar a volta”, é um conceito de gestão estratégica utilizado para o conjunto de ações que visa alterar o rumo de uma empresa que, muitas vezes, está estagnada ou em declínio. Tratase, portanto, de um redirecionamento estratégico e operacional para a obtenção de resultados melhores dos alcançados anteriormente, de maneira sustentável. Costuma ser um processo complexo e arriscado, uma vez que pode exigir soluções incomuns e radicais, levando em conta as condições financeiras, culturais e tecnológicas de uma organização, além do contexto em que está inserida.

Team Building
Conjunto de atividades que reforça, desenvolve o conhecimento e cria laços relacionais mais profundos entre membros de uma empresa. “O objetivo dessa prática é alcançarmelhores níveis de produtividade e satisfação das equipes no desempenho de suas funções”, explica Sabbag. O team building é cada vez mais importante no desenvolvimento de equipes de alta performance.

Sua empresa já conhecia e utilizava estes termos de RH? Deixe seu comentário!

Fonte: diariodocomercio.com.br

eBook: O que é e o que esperar de um ERPBlog SISPRO Assine Recursos Humanos