Processo seletivo: 7 erros cruciais dos recrutadores
17927
post-template-default,single,single-post,postid-17927,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

7 erros cruciais dos recrutadores no processo seletivo

Por falta de planejamento as empresas acabam não absorvendo o melhor das entrevistas de emprego. Os recrutadores cometem uma falha capital no processo seletivo, ou seja, acreditar que se trata de uma simples tarefa.

Contudo, essa função deve ser assumida pelo profissional de forma concisa e planejada. É uma atividade não passível de erros, pois a empresa pode ser prejudicada, uma vez que o recrutador escolha um candidato não alinhado aos ideais da empresa.

Todo bom profissional de recursos humanos está ciente da importância que uma seleção de novos profissionais representa. Sendo assim, montamos um guia com alguns dos erros mais cometidos pelos recrutadores no processo seletivo, acompanhe!

Recrutadores no processo seletivo: 7 erros que você deve evitar

erros cometidos pelos recrutadores no processo seletivo

Em um ambiente empresarial qualquer decisão errada ou escolha inadequada podem gerar catastróficos prejuízos financeiros. Somado a isso está a promoção à cultura organizacional desequilibrada, pois basta um profissional com perfil oposto ao da empresa para que o ambiente se torne inclinado às desavenças.

Veja como evitar que isso aconteça logo a seguir!

1 – Desconhecer o perfil da empresa

Todo funcionário tem por obrigação conhecer as diretrizes da empresa que faz parte, mas quando o profissional é um recrutador a exigência deve ser ainda maior. Isso porque, ao conhecer a política, os valores da organização e acima de tudo, os objetivos, o processo seletivo é beneficiado.

Com esse entendimento é possível conduzir ao candidato todos esses aspectos. Dessa maneira, o profissional concebe a equiparação das características e perfil do entrevistado com as diretrizes da empresa e principalmente do cargo a ser assumido.

2 – Postura inadequada perante o candidato

Um recrutador sem postura ou padrão de qualidade pode passar a impressão totalmente contrária. Da mesma forma que se espera que o entrevistado se porte com boa postura e profissionalismo, deve ser com o responsável pela seleção.

Além de transparecer que determinadas condutas são aceitáveis, promove a imagem completamente oposta ao que o futuro funcionário irá encontrar. O ideal é estar impecável na aparência, postura, vocabulário cabido e eliminar qualquer interrupção no processo seletivo.

3 – Não transparecer as especificidades da vaga

Esse é um dos erros mais comuns cometidos e faz parte do primeiro tópico abordado. Por não conhecer a fundo as diretrizes da empresa e de maneira não intencional, o profissional acaba não passando as informações mais essenciais ao candidato.

Fazem parte dessas especificidades os seguintes aspectos:

  • Competências e responsabilidades;
  • Informações do local de trabalho;
  • Horários inerentes ao cargo como carga horária e respectivas pausas;
  • Salário, benefícios e metas;
  • Viabilidade no crescimento dentro da empresa.

A falta de clareza na hora da entrevista pode ocasionar o desinteresse completo do candidato adequado e competente à vaga, bem como o interesse de quem simplesmente não se alinha a nenhuma das especificações acima.

4 – Pouco preparo para executar a entrevista

Por acreditar que se trata de apenas mais uma entrevista o profissional de RH peca na execução da mesma. Todavia, isso pode ser evitado ao elaborar um roteiro a seguir e desenvolver perguntadas condizentes às informações presentes no currículo.

Realizar a prévia análise do currículo permite a criação de um questionário estratégico que coloca em posição de “xeque-mate” o entrevistado, considerando a experiência proposta pelo mesmo.

5 – Focar apenas nas informações do currículo

O fato de que o candidato alega saber “pilotar um avião” não o torna um piloto, por exemplo, ou seja, é primordial a avaliação prática. Por meio de um teste prático é possível comprovar a experiência alegada no documento.

Não deixe que a urgência em preencher o cargo leve a possíveis enganos acerca das capacidades do recrutado. Fomente o processo seletivo criterioso e que irá suprir as necessidades da empresa naquele momento.

6 – Manter o candidato no escuro

Muitas empresas acreditam que não é necessário transmitir uma resposta à entrevista realizada. Mesmo que o resultado não seja satisfatório ao candidato é essencial promover o respeito e consideração pelo profissional.

Além de fortalecer a imagem da empresa, a mesma se assegura de sua eticidade. No atual universo tecnológico uma simples aplicação é suficiente para não deixar o candidato no escuro e agoniado esperando por resposta.

7 – Exibir comportamento de superioridade

De forma isolada alguns recrutadores erram de forma monumental, pois transmitem a sensação de superioridade apenas por ocuparem aquela função. Além de antiético e antiprofissional é desencorajador para o candidato que compete à vaga.

Todavia, quando o profissional reconhece o nervosismo e passa confiança ao entrevistado, ele promove o bom relacionamento e oferta uma relação facilmente digerida, pois há liberdade e espaço para a progressão.

Através do respeito, profissionalismo e preparo é viável encontrar o futuro profissional que irá agregar à empresa. Por meio da seleção inteligente o recrutador alcança a aquisição de um motivador à geração de frutos positivos para o empreendimento.

Fortaleça a imagem da empresa com a presença de funcionários talentosos e que almejam o crescimento profissional próprio, bem como a firmação da marca no concorrido mercado.