Gestão financeira: 7 dicas certeiras para colocar a empresa no eixo
17049
post-template-default,single,single-post,postid-17049,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Gestão financeira: 7 dicas certeiras para colocar a empresa no eixo

Novamente abordaremos a questão da gestão financeira, pois entendemos que o controle dos aspectos financeiros implica na saúde empresarial. Ainda hoje, empresários passam por maus bocados apenas por não controlar adequadamente suas finanças.

Por vezes acabam negligenciando etapas fundamentais do processo de gestão. Seja na falta de planejamento, gastos exorbitantes e muitas vezes na desorganização dos documentos, a empresa se sujeita aos problemas.

Sendo assim, é inevitável que entenda a complexidade de gerir o financeiro de uma empresa, pois a gestão passa a contar com um respaldo imprescindível para tocar os negócios.

Separamos 7 maneiras para que você coloque de vez a gestão financeira nos trilhos. Sem o direcionamento apropriado é apenas uma questão de tempo até o trem descarrilar, por isso acompanhe!

7 formas para colocar a gestão financeira da empresa nos eixos

dicas para melhorar a gestão financeira

Na prática, não existe um manual onde o gestor e o empreendedor possam se basear para que tudo dê certo. Pelo contrário, isso funciona com uma cultura empresarial baseada na prática diária de ações e estratégias voltadas para a otimização do espectro financeiro.

Conheça os direcionamentos que separamos para te ajudar a “por ordem na casa”, confira!

1 – Como anda o conhecimento em gestão de negócios?

Com o intuito de aplicar uma gestão de negócios efetiva é preciso conhecimento específico. A ausência desse disso acarreta algumas situações corriqueiras do dia a dia, onde o gestor acaba tomando decisões precipitadas e não fundamentadas.

Sucedido justamente pela falta de conhecimento apropriado, bem como em razão da correria e falta de tempo para se planejar. Portanto, o gestor deve sempre estar em busca de mais informação e qualificação para que assim, esteja apto a tomar as melhores decisões e nos momentos mais certeiros.

2 – Nunca abandone o planejamento estratégico

Sem pestanejar, podemos assumir que o planejamento estratégico é o melhor direcionamento que uma empresa pode ter. Caso a gestão peque nessa etapa corre o sério risco de expor as fragilidades da gestão financeira.

Além disso, acaba sem conhecer a fundo seu direcionamento estratégico, que é o responsável pelo atingimento de metas e consequentes objetivos.

Logo, praticar uma reflexão acerca do direcionamento a ser seguido, bem como sobre os projetos operacionais é primordial. Vale ressaltar a importância de traduzir esse planejamento em números, pois facilita a análise da possibilidade de execução.

3 – Seja preciso em sua gestão orçamentária e se organize

Grande fatia das empresas acaba se perdendo no meio do caminho por não elaborar uma gestão orçamentária adequada. Esse planejamento tático deve ser colocado em prática, a fim de ampliar a visão geral da empresa ao longo do ano.

Inclua informações vitais para a gestão financeira, como projeção das despesas, das receitas, sem se esquecer de incluir o balanço patrimonial. Aliás, não deixe de fora os principais objetivos financeiros, para aprimorar o estudo das estratégias e a tomada assertiva das ações futuras.

Um erro cometido nessa etapa e mais comum do que deveria, é aliar a complexidade de tal gestão orçamentária em planilhas físicas e mutáveis. Evite ao máximo utilizar tal recurso e cogite o investimento em um sistema de gestão financeira.

Falaremos mais sobre isso abaixo, fique tranquilo!

4 – Evite a desorganização com controles mensais

Você consegue visualizar a quantidade massiva de documentos gerados por uma empresa e seus processos de gerenciamento diários? Agora imagine que a empresa não mantenha tudo organizado, isso facilita a localização de um dado específico?

Como então, monitorar o cumprimento do planejamento orçamentário citado acima? Para que a gestão consiga fiscalizar a eficácia da programação executada é substancial a organização minuciosa.

5 – Coloque seu fluxo de caixa sob o microscópio

Conhece o maior vilão da gestão financeira, o calcanhar de Aquiles de todo planejamento das finanças? Conheça o fluxo de caixa! Essa é uma das mais importantes engrenagens nessa complexa máquina conhecida como gestão financeira.

Esse fluxo de informações é o principal indicador e influenciador da saúde das finanças da empresa. Portanto, manter controle assíduo e constante, avaliando números, realizando cálculos assertivos, deixando de subestimar ao ter a certeza das perspectivas de gastos, a gestão assegura a saúde da empresa.

Mas para que isso se torne uma realidade é preciso dedicação, delineação de diretrizes e acima de tudo, ferramentas adequadas!

6 – Retome as rédeas dos gastos com folha de pagamento

A gestão da sua empresa conhece os gastos com a folha de pagamento? Você sabia que esses dispêndios não devem ser maiores do que 30 ou 40% do faturamento total?

Aproximar os gastos com base nessas porcentagens permite que a empresa amplie sua autoridade financeira. Contudo, para alcançar esse posicionamento é indispensável incluir no plano gerencial a real necessidade dos colaboradores envolvidos.

Determinar a importância das funções desempenhadas por cada um, pois existe a obrigação de manter um fundo de reserva para eventuais despesas. Em outras palavras, a empresa deve se antecipas às possíveis demissões, despesas com férias e 13º salários, por exemplo.

7 – Implemente uma solução para auxiliar na gestão financeira

Nesse momento você já está mais preparado para desenvolver uma gestão financeira adequada, não é mesmo? Mas você sabia que existe uma solução que funciona como “cola que une todos os direcionamentos e planejamentos da empresa?”.

Certamente você já ouviu falar sobre software de gestão financeira, conhecido também como ERP, correto? Esse sistema é capaz de otimizar seu posicionamento estratégico ao centralizar todas as informações necessárias para a gestão.

Como uma última dica para melhorar o controle do capital da empresa, implemente uma solução desenvolvida para atendar essas demandas específicas.

Uma ferramenta que consolide o conhecimento em gestão de negócios do gestor, o planejamento estratégico, a gestão orçamentária, os controles mensais, o fluxo de caixa e a visibilidade dos gastos com folhas de pagamento, ou seja, todos os tópicos que abordamos aqui.

Descomplique a gestão financeira de forma orgânica e organizada. Afinal, o conhecimento que faltava acabamos de te passar!