Gestão de Dados e vantagem competitiva | SISPRO
7990
post-template-default,single,single-post,postid-7990,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Gestão de Dados e vantagem competitiva

A gestão de dados eficiente gera vantagem competitiva para as empresas. Apesar de a maioria dos benefícios serem diferentes em cada empresa, alguns ainda são comuns à maioria. Entre eles podemos destacar:

– Melhor alinhamento entre as áreas de tecnologia e de negócio.

-Conhecimento dos dados utilizados na empresa através da adoção de um vocabulário único sobre as definições dos dados que circulam na empresa.

-Entendimento das principais necessidades de dados e informações da empresa, fornecendo um importante subsídio para estabelecer o planejamento para absorção, criação e/ou transformação de novos dados e informações.

-Melhoria na qualidade e confiabilidade dos dados e informações através do uso de dados cada vez mais claros, precisos, íntegros, integrados, pertinentes e oportunos.

-Criação da cultura do uso de indicadores de processo e qualidade dos dados.

-Reutilização de dados considerados corporativos, contribuindo dessa forma para a melhoria da qualidade dos dados e também reduzindo os esforços, tempos e custos do desenvolvimento de novas aplicações.

-Redução dos riscos e falhas no desenvolvimento dos sistemas e aplicações.

-Eliminação ou redução drástica na quantidade de informações redundantes, contribuindo para reduzir os esforços em manter íntegras as informações que antes eram redundantes.

-Estabelecimento de mecanismos formais de segurança, acesso e disponibilização de dados e informações a quem realmente necessita.

-Aumento da produtividade das pessoas que utilizam os dados e as informações.

Quais perfis profissionais são necessários para promover a Gestão de Dados nas empresas?

Sem uma gestão efetiva dos dados, a evolução desta cadeia não é atingida, portanto, para atingir os objetivos é fundamental a disciplina atuar nos estágios iniciais da cadeia. Por esta razão o nome da disciplina é Gestão de Dados e não Gestão das Informações ou Gestão do Conhecimento. Porém, valem ressaltar que, dependendo do nível da maturidade da empresa, as ações de gestão para a evolução da cadeia podem se estabelecer em outros níveis.

A Gestão de Dados trouxe a necessidade de novos perfis profissionais para atingir os seus objetivos. O Executivo de Gestão de Dados, também conhecido como CDO (Chief Data Officer), atua na esfera executiva das empresas, promovendo as iniciativas de gestão de dados e dando o suporte gerencial necessário as equipes que desenvolvem este trabalho de gestão.

O Gestor de Dados de Negócio, também conhecido como Data Steward, é um profissional que executa a gestão dos dados dentro das áreas de negócio da empresa, representando os interesses dos consumidores dos dados, e não mais somente os interesses da TI. Vale ressaltar que empresas de grande porte, com vários segmentos de negócio específicos, requerem gestores de dados especialistas em cada um dos seus segmentos de negócio.

O Gestor de Dados Estratégico é uma espécie de “Super Data Steward”. Este profissional é responsável por liderar as iniciativas de gestão e governança de dados corporativa na empresa e promover o alinhamento (consenso) entre a TI e todas as demais áreas de negócio.

O Gestor Técnico de Dados é um perfil resultante da evolução do antigo Administrador de Dados. Este profissional atua dentro da área de TI da empresa, porém sua atuação e conhecimento, atualmente, são muito mais amplos. O Gestor Técnico de Dados está envolvido nas diversas funções de dados e não mais apenas nas funções ligadas a modelagem de dados e gestão de modelos de dados.

O que considerar na escolha de um funcionário para este setor?

Na hora de selecionar, devemos levar em consideração três aspectos:

Habilidades comportamentais: De forma geral, o profissional de Gestão de Dados precisa ser capaz de se relacionar bem com pessoas de diferentes formações, estilos e mentalidades, especialmente na medida em que é sua função “fazer a ligação” entre as diversas áreas de negócio e as áreas de tecnologia. Precisa saber ouvir, ser capaz de compreender a comunicação não verbal, distinguir necessidades de desejos, negociar, assumir riscos e compromissos. Além disso, precisa ter pensamento sistêmico, de modo a prever as interações entre o que está sendo proposto e as demais necessidades da empresa. Atualmente, não há mais espaço no mercado para profissionais acostumados ao modelo de trabalho do passado, onde a comunicação era feita apenas entre o Administrador de Dados e as equipes de desenvolvimento de sistemas.

Habilidades em Gestão de Dados:  Conhecimento das funções de gerenciamento de dados. A certificação CDMP (Certified Data Management Professional) promovida pela DAMA International pode ser um bom comprovante para esta habilidade. 

Conhecimento do Negócio: Ao conhecer em profundidade as áreas de negócio em que atua, o profissional de Gestão de Dados é capaz de entender os objetivos estratégicos da empresa, identificar rapidamente as necessidades dos clientes, mesmo quanto elas não são claramente articuladas.

Sua empresa já utiliza a gestão de  dados para obter vantagem competitiva? Comente sua experiência!

Por: Bergson Lopes Rego

Fonte: devmedia.com.br

Blog SISPRO Assine Gestão Empresarial