Gerenciamento de riscos nas instituições financeiras | SISPRO
7785
post-template-default,single,single-post,postid-7785,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Gerenciamento de riscos nas instituições financeiras

Gestão de Riscos SISPRO Blog ERP

Gerenciamento de riscos será aposta das instituições financeiras nos próximos dois anos. Nove em cada dez empresas de serviços financeiros planejam aumentar o investimento em gestão de risco nos próximos dois anos, em resposta às ameaças emergentes de segurança cibernética e fraude, segundo novo relatório da Accenture.

O levantamento ouviu 450 executivos de gerenciamento de risco no mercado no mercado de capitais, bancos e no setor de seguros e revela que 86% dos entrevistados planejam aumentar seus investimentos em capacidades de gerenciamento de risco até 2017, com um em cada quatro (26%) planejando uma ampliação de mais de 20%.

Outro dado interessante do estudo é que 29% esperam aumentar em mais de 20% seus investimentos em tecnologias como cloud computing, software como serviço (SaaS), big data e analytics.

O investimento nessa vertente é em resposta ao aumento das ameaças cibernéticas, que 34% dos entrevistados afirmam entender seu crescimento. Quase dois terços (65%) disseram que o risco cibernético/TI terá um impacto maior em seus negócios nos próximos dois anos, sendo que 26% firmam que o aumento será significante.

Para quase três quartos (73%) dos participantes do estudo afirmaram que a gestão de riscos digitais emergentes e o aumento da velocidade, variedade e volume de dados desafiam sua habilidade para ser eficaz. Menos de um em cada dez (9%) afirmou que dados consistentes e atualizados estão regularmente disponíveis para os decisores em toda a organização.

Diante desse cenário, cada vez mais, os Chief Risk Officer (CROs) procuram desempenhar papel mais estratégico em suas empresas. Apenas 36% dos entrevistados dos mercados de capitais e 29% dos bancos disseram ir além das conformidades regulamentares básicas, como integração com iniciativas de mudança em curso, ao entregarem programas de mudanças regulatórias.

Para as empresas que vão além do básico em compliance, existe uma coordenação muito maior sobre as questões de regulação e função de risco do que sobre o restante do negócio.

Sua empresa investe em gerenciamento de risco? Deixe seu comentário!

Fonte: itforum365.com.brBlog SISPRO Assine Gestão Empresarial