Gestão financeira empresarial: 5 ações que melhoram essa estratégia
17423
post-template-default,single,single-post,postid-17423,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

5 ações que melhoram a gestão financeira empresarial

Será que empreendedores de sucesso guardam algum conhecimento ou fator-chave que influenciaram sua ascensão? Seguindo o conhecimento comum temos a gestão financeira empresarial como um ponto de partida importante.

Separamos algumas dicas ou melhor, algumas ações que pode você implementar no dia a dia da empresa, ou mesmo planejar um processo enxuto e completo.

Quer aprender como as grandes empresas alcançaram o sucesso nos negócios? Então não deixe de acompanhar esse conteúdo que irá tratar da gestão financeira empresarial de maneira relevante para o seu empreendimento, é só acompanhar a seguir!

Conheça 5 ações para melhorar a gestão financeira empresarial

como melhorar a gestão financeira empresarial

É fundamental compreender que o guia que apresentaremos a seguir é algo que, certamente toda grande empresa que detém um patamar bem-sucedido deve ter seguido.

Elencamos 5 ações ao todo que combinadas, influenciam positivamente na saúde financeira da sua empresa. Portanto, se não quiser correr o risco de ficar sem esse conhecimento, dê sequência à leitura!

1 – Comece organizando tudo o que a empresa deve pagar e receber

Pode parecer que esse tópico é algo batido, mas saiba que é um dos primeiros passos a tomar como direcionamento. Deve existir uma simbiose sincronizada e harmoniosa no setor de contas a pagar e a receber.

Essa sincronia deve ser tal a ponto de que, conforme as contas forem pagas, o que certamente forma um gargalo naquele orçamento mensal, o mesmo gargalo seja suprido com os recebimentos futuros.

Uma gestão que não se atenta às contas a serem pagas abre mão de recursos financeiros importantes. Afinal, todo pagamento desnecessário, bem como multas e atrasos, pode potencializar que seu negócio se descapitalize.

Além disso, a empresa corre o risco de ter fornecedores encerrando suas atividades, pois nessa relação não cabem atrasos. Essa é uma questão que afeta até mesmo o administrativo, pois fomenta negativas consequências como o protesto de títulos, por exemplo.

Por outro lado, quando se está com as contas em dia a gestão garante maiores vantagens como descontos, melhores condições e prazos para pagamentos, além de otimizar seu capital de giro.

2 – Desenvolva um olhar crítico quanto ao capital de giro

A definição de capital de giro é a quantificação de recursos indispensáveis para a preservação e manutenção das atividades da empresa. Logo, esse capital é o responsável por não deixar que a empresa fique com contas atrasadas e se torne ela mesmo, inadimplente.

Portanto, manter o mais equilibrado possível as contas a pagar e a receber é a melhor solução para sempre ter um capital de giro ideal. Existem algumas maneiras de tratar esse equilíbrio, tais como:

  • Fiscalizar os prazos oferecidos aos clientes;
  • Desenvolver um eficaz sistema de cobrança;
  • Manter a taxa de inadimplência dos clientes sob controle;
  • Acompanhar a fabricação dos produtos;
  • Aproximar-se do processo de venda, entrega e recebimento.

Esses são alguns passos que asseguram maior saúde financeira e consequente capital de giro sadio.

3 – Fiscalize a taxa de conversão das receitas da empresa

Já mencionamos em outros conteúdos que alcançar um faturamento considerado alto, não é sinônimo de lucratividade. Então, para determinar se os valores são positivos é preciso focar na análise do balanço patrimonial, bem como na Demonstração do Resultado do Exercício.

Além disso, é essencial aplicar na prática as informações adquiridas na demonstração contábil. Afinal, essa questão aliada à gestão financeira empresarial concede mais visibilidade dos valores recebidos dos clientes.

Contudo, se a gestão quiser ir mais a fundo é possível, por meio das análises citadas acima, determinar de que forma os valores foram obtidos, ou seja, em caixa direto, vendas a prazo ou mesmo no banco.

4 – Fluxo de caixa é o principal indicador

Quer entender realmente como anda o recebimento das contas, a fim de encontrar possíveis problemas com os clientes? Faça uso de uma das ferramentas mais importantes para as empresas, o fluxo de caixa.

Por meio do fluxo de caixa é viável compreender se as contas estão sendo recebidas e de que maneira isso acontece. Além disso, é possível se antecipar às inadimplências e evitar maiores problemas com os clientes fidelizados.

A dica real aqui é realizar um investimento em um setor próprio de cobranças e mais, implementar um pós-venda. Agora munido de um setor específico e com relatórios precisos em mãos, é hora de adequar a gestão financeira empresarial.

5 – Efetue a análise dos resultados em termos de receita e despesa

É imprescindível para o sucesso da gestão financeira empresarial realizar a análise do histórico completo das despesas e receita. Responsável por apresentar a realidade do desempenho no mercado, é importante na tomada de decisão nos próximos passos.

Ao esmiuçar os números da receita e despesa é viável e simplificado apontar com exatidão a fonte do dinheiro da empresa, bem como onde esse mesmo dinheiro está sendo aplicado.

Ao compreender o fluxo desse montante a gestão mensura a saúde financeira, a fim estipular quais os custos mais contundentes e assim, definir diminuições e substituições em caso de necessidade.

Como anda a sua gestão financeira empresarial?

Como uma última dica, indicamos a aquisição de uma solução que automatize essas operações e apresente com mais facilidade e de forma integrada, todas as informações necessárias para a sua empresa gerir com eficiência o financeiro.

Esperamos ter apresentado alguns dos princípios da boa gestão. Torcemos para que consiga traduzir todo esse conhecimento, em crescimento e posterior sucesso do seu negócio!