4 técnicas de gerenciamento de crises | SISPRO
2050
post-template-default,single,single-post,postid-2050,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

4 técnicas de gerenciamento de crises

4 técnicas de gerenciamento de crises

Por melhor que seja a gestão de uma empresa, é praticamente impossível que não haja algum momento de tensão. Pode ser um prazo apertado, a insatisfação de um cliente ou um erro de alguém da equipe. Quando algo do tipo acontece, é importante gerenciar a crise, a fim de minimizar o impacto do prejuízo.

Uma reportagem, publicada originalmente pela “Inc.”, listou o que é necessário para que um gestor faça o gerenciamento da crise. Confira:

1. Entenda tudo o que aconteceu

Antes de gerenciar a crise, é importante diagnosticá-la, pois só é possível minimizar os problemas após descobrir suas causas. Para isso, converse calmamente com sua equipe e deixe que cada um de seus funcionários exponha seu ponto de vista.

2. A culpa não é só sua

Pode ser também, de acordo com a reportagem, que a crise não tenha sido causada diretamente pela sua empresa. Por exemplo, a razão do problema pode ter sido a insatisfação de um cliente. Mas e se o cliente em questão seja difícil de lidar e sua equipe não pôde lidar com ele? Pode ser que outro time pudesse ter dado conta da situação, claro. Mas, até para evitar a desmotivação, neste caso é melhor suavizar a crítica.

3. Parta para a resolução dos problemas

Com o diagnóstico feito, minimize o impacto da crise. Vá ao foco do problema. Se houve, por exemplo, um problema com um cliente, peça desculpas e diga que está fazendo o possível e o impossível para resolvê-lo. Tal medida pode não ser muito eficaz no curto prazo, mas serve para acalmar quem foi prejudicado pela falha.

4. Aprenda com o erro

O ideal é que a falha não ocorra novamente. Veja o que deu errado e pense no que poderia ter sido feito de diferente. O gerenciamento de crise serve para o curto prazo, mas também deve servir para que, no longo prazo, haja menor chance de erro.

Sua empresa trabalha com a gestão de crise? Deixe seu comentário!

Fonte: revistapegn.globo.com

eBook: O que é e o que esperar de um ERP