Economicidade em TI | SISPRO
7982
post-template-default,single,single-post,postid-7982,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Economicidade em TI

Os sistemas de informação adquiriram importância a partir da revolução industrial, mas foi a partir da revolução tecnológica dos anos 50 que ele assumiu papel de protagonista. Nunca houve tanta tecnologia disponível e nunca se investiu tanto. Chegou a hora de definir métodos eficientes de mensuração da eficiência e dos retornos gerados pela TI.

Economicidade: Operacionalidade ao mínimo custo possível. Bill Gates tem uma frase interessante que reflete bem o porquê os sistemas de informação adquiriram a importância que possuem hoje: “O modo como você reúne, administra e usa a informação determina se vencerá ou perderá”.

Desde que a revolução industrial começou, o ser humano já percebeu a necessidade de estruturar os sistemas de informação de modo a conseguir tomar decisões rápidas e precisas e, assim, maximizar seus resultados. Desde a tentativa frustrada do Americano Charles Bright e dos irmãos britânicos John e Jacob Bret em atravessar o oceano atlântico com um cabo telegráfico até os dias de hoje, o ser humano sempre correu atrás da informação.

Por trás dessa corrida uma indústria que movimenta bilhões de dólar fornecendo soluções para que empresas possam ter disponível, no momento certo, a informação que ela precisa para tomar a melhor decisão possível.

Desde o desenvolvimento da contabilidade gerencial, em torno de 1812, passando pelo kardex e pelo kanban e até os modernos sistemas de ERP, Os sistemas de informação sempre foram produtos fáceis de serem vendidos por conta do imenso valor que eles agregam a qualquer companhia.

Os sistemas de informação são um ativo importante e quanto a isso não existe a menor dúvida, e a definição de Ativo feito por Iudícibus justifica bem essa visão: “A característica fundamental do ativo é sua capacidade de prestar serviços futuros à entidade que os têm, individualmente ou conjuntamente com outros ativos e fatores de produção, capazes de se transformar, direta ou indiretamente, em fluxos líquidos de entradas de caixa”.

Porém, estou atribuindo o valor adequado à informação? Como eu faço para contabilizar o meu banco de dados? O quanto ele agrega ao resultado da minha companhia? O Investimento que estou fazendo se justifica? Eu estou tendo retorno dos meus investimentos em sistemas de informação? Este novo produto agrega quanto à minha estrutura?

O mesmo Iudícibus diz que “no âmago de todas as teorias para a mensuração dos ativos, se encontra a vontade de que a avaliação represente a melhor quantificação possível dos potenciais de serviços que o ativo apresenta para a entidade”.

Quais os investimentos de TI realizados pela sua empresa atualmente? Deixe seu comentário!

Por: Paulo Planez

Fonte: administradores.com.br

Blog SISPRO Assine ERP