Cloud Computing: qual a diferença entre SaaS e PaaS? | SISPRO
7657
post-template-default,single,single-post,postid-7657,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 
Blog

Cloud Computing: qual a diferença entre SaaS e PaaS?

Cloud Diferença SISPRO Blog ERP

Nem toda nuvem é igual. Existem vários tipos de serviços distintos, criados para solucionar necessidades diferentes das empresas. De forma resumida, existem três principais opções: SaaS, PaaS e IaaS.

As siglas podem assustar o iniciante na área, mas elas não são tão complexas assim. SaaS significa Software as a Service (software como serviço), enquanto PaaS representa Plataform as a Service (plataforma como serviço). IaaS, por sua vez, é sigla para Infrastructure as a Service (infraestrutura como serviço). A seguir explicaremos a diferença entre SaaS e PaaS:

SaaS são os serviços de aplicações em nuvem, que usam a web para acessar aplicativos gerenciados por terceiros com uma interface executada no lado do cliente. Em alguns casos, é possível executá-las diretamente no navegador, mas também pode haver uma instalação local conectada à nuvem. Aplicações comuns incluem o e-mail e ferramentas colaborativas, por exemplo.

O modelo de negócios do SaaS é caracterizado principalmente pela não-aquisição de licenças de software. Em vez disso, as empresas pagam pelo software como um serviço, transferindo para o fornecedor a responsabilidade de mantê-lo operando com melhorias regulares. Essa, aliás, é uma das tendências mais fortes no segmento de software: boa parte das fabricantes tem optado por oferecer seus programas no modelo SaaS como forma de garantir fonte de renda constante e também como forma de diminuir a pirataria. Vender licença de softwares, um modelo que o mercado apelidou de venda em “caixinhas”, é cada vez mais raro.

Já o PaaS é um pouco mais complexo: ele envolve um ambiente virtual para criação, hospedagem e controle de softwares e bancos de dados. Desenvolvedores ganham um ambiente para construir ou customizar suas aplicações, simplificando o desenvolvimento, testes e implantação. O recurso permite gerenciamento de sistemas operacionais, virtualização, servidores, armazenamento e rede.

O PaaS pode ser aplicado de duas formas: por meio de uma nuvem pública – através da qual o cliente controla a implantação de software e o fornecedor do serviço oferece toda a infraestrutrura de servidores, redes e armazenamento para guardar a aplicação – ou então por uma nuvem privada, mantida em um departamento de TI interno.

Sua empresa possui aplicações em cloud? Deixe seu comentário!

Fonte: olhardigital.uol.com.br

Prêmio Top Blog 2015

 

 

eBook: O que é e o que esperar de um ERP

 Blog SISPRO Assine Cloud Computing